Esse ano os fãs de Harry Potter vão ficar muito felizes, pois temos a estreia da continuação de Animais Fantásticos e Onde Habitam, e um FÃ filme baseado no universo de J.K Rowling, chamado Voldemort: A Origem de Herdeiro (Voldemort: Origins of the Heir). O curioso dessa produção totalmente independente é que ela recebeu autorização da própria Warner Bros para ser feita. Veja o que achamos dela logo abaixo:

Voldemort: A Origem de Herdeiro é um filme extremamente curto, tem apenas 52 minutos de duração. Lógico se formos ver os grandes filmes de grandes estúdios estamos acostumados a ver filmes de no mínimo 2 horas, mas como é um filme feito por fãs, com dinheiro e equipe reduzida não podemos esperar tanto.

O seu desenvolvimento é muito dinâmico, acho que como o tempo era escasso no roteiro, fizeram tudo bem rápido, mas não ruim. No final temos um filme totalmente dinâmicos, com diálogos rápidos e totalmente intrigantes, fazendo assim com que o espectador não se canse em nenhum momento enquanto assiste o filme.

Não podemos comparar em hipótese nenhuma os efeitos especiais do filme com por exemplo a saga Harry Potter, além de ser uma equipe muito menor a verba utilizada foi também astronomicamente menor. Mas de fato efeitos são de altíssima qualidade para um orçamento baixo, batendo de frente com alguns filmes de grandes estúdios. O grande problema em si não são os efeitos práticos ou especiais e sim a sincronização das vozes dos personagens que muitas vezes está fora de ritmo com os movimentos dos lábios. Além de ter uma impressão que quase todo o áudio do filme foi gravado logo depois do final das filmagens, fazendo assim com que muitas falas parecerem sem emoção. Mas como falei não podemos pesar tanto nesse quesito já que se trata de uma produção independente.

Outro fator que me deixou muito surpreso foi a fotografia que sem dúvida é a coisa que mais chama a atenção, sendo muito bonita e a imagem em si sendo muito bem trabalhada na pós-produção, além de que a escolha de cenário para cada cena foi muito bem feita. Percebi que o diretor do longa Gianmaria Pezzato conseguiu trabalhar com diversos elementos muito bem.

A trilha sonora é totalmente original, logicamente não podendo usar nenhuma música dos filmes do Harry Potter, já que todos eles são licenciados pela Warner. Mas mesmo assim as músicas utilizadas passam uma atmosfera de universo mágico.

Como falado antes o filme tem lá seus 52 minutos de duração, e isso para contar uma história tão detalhada como a de Lord Voldemort ficaria meio complicado, não é? Achou errado!! O roteirista e também diretor Gianmaria Pezzato conseguiu adaptar a história que sabemos sobre o personagem e criou mais algumas coisas sutis, e o resultado final foi uma história recheada de detalhes e um real fã servisse. Podemos dizer que como é uma obra não oficial da escritora nem tudo que vimos ao longo do longa é canônico ou sequer existe no universo mágico de Harry Potter, mas mesmo assim consegui sair bem satisfeito com o resultado final que o filme teve. O maior problema é que a história se mante linear e sem acontecimentos de peso até os últimos 10 minutos de filme, que parece que é onde os plot twist começa a acontecer, e quando parece que vamos ver mais feitiços e uma história muito mais envolvente já estamos vendo os créditos finais do filme.

Em geral a atuação é de ótima qualidade, dando destaque ao jovem Stefano Rossi que além de produtor também interpreta o tão malvado Tom Marvolo Riddle, ele é realmente o que rouba a cena. De resto não vemos nada que seja tão impressionante assim. Lógico, todos os personagens principais são interpretados por ótimos atores, mesmo que por enquanto sejam desconhecidos.

Como se trata de um fã filme, ele não é comercial, logo podemos ver ele na integra no canal oficial da produtora Tryangle Filmes, que foi responsável de fazer o filme. Caso queira assistir na INTEGRA confira logo abaixo:

 

Voldemort: A Origem de Herdeiro já está disponível para ser assistido no Youtube