[Análise]- Far Cry 5

[Análise]- Far Cry 5

0

Esse ano tivemos o lançamento de um dos jogos mais aguardados dos últimos tempos, Far Cry 5 que vem com promessas de ser ainda melhor que seus antecessores. Confira o que achamos do jogo logo abaixo.

Far Cry 5 é um jogo que segue uma história 100% linear, quase que não temos a presença de flashbacks durante a jogatina, onde a história é contada detalhadamente, mas sem nenhuma enrolação grande.

O jogo é bem simples em suas mecânicas, seguindo o exemplo de seus antecessores, mas com um toque diferente. E esse toque veio do grande sucesso do Tom Clancy’s Ghost Recon Wildlands no ano passado, temos diversas mecânicas apresentada na franquia Tom Clancys no ano passado presente em grande peso tanto na jogabilidade como na história em si. Como já havia dito, o jogo é bem simples e sua jogabilidade o acompanha, podemos andar, correr, agachar, voar, atirar, escalar. Nada que não podíamos fazer nos outros jogos da franquia. Mas Far Cry 5 não consegue fugir totalmente da maldição de bugs da Ubisoft, élo menos durante a minha jogatina encontrei diversos bugs, desde de textura até NPC’s andando e atravessando paredes e o próprio chão. Inclusive alguns desses erros me atrapalharam na hora de concluir os objetivos solicitados na missão, mas nada que alguns updates não consigam corrigir ao longo do tempo. Além desse problema temos o já famoso problema com a pilotagem de veículos no jogo, que é horrível de diversas formas, sendo pela forma arcaica que fizeram o movimento de câmera dentro do carro, ou até pela dirigibilidade que é uma das piores que eu já tive que usar. Em vários momentos eu preferia atravessar o mapa quase todo andando do que usar um carro e ficar me perdendo a cada segundo ou batendo o carro em cada arvore que eu passava.

Os gráficos são como sempre belíssimos, como se trata de uma cidade no interior dos Estados Unidos, a ambientação é quase que toda por grandes florestas e pequenas cidades ou acampamentos. As texturas conseguem ser bem-feitas e bonitas dando uma maior impressão de realismo ao jogo. Outro fator importante é a quantidade de detalhes dentro do jogo que é muito alta, desde armas até cidades inteiras. Único problema que eu percebi foi em determinadas áreas o Playstation 4 começou a ter uma queda de frames, coisa que não deveria acontecer em um console onde é feito para rodar a 30 fps cravados. Além disso podemos dizer que graficamente o jogo também é pesado, já que possuiu diversas cenas onde encontramos pelo chão diversos cadáveres queimados ou em processo de decomposição

Uma coisa nova que agradou bastante os fãs, que também veio da série Ghost Reacon é o “aluguel” de personagens, onde vamos desbloqueando aliados ao longo que vamos avançado na campanha e depois podemos pedir a sua ajuda para fazer uma missão ou atacar algum acampamento inimigo, e isso ajuda muito já que o cada um deles possui uma características que os tornas quase que únicos e útil para cada situação que o jogador poderá se encontrar durante o jogo. Outra coisa nova é que pela primeira vez na série Far Cry podemos jogar a campanha INTEIRA em coop, ou seja com até 4 jogadores simultaneamente, fazendo assim com que o jogo fique mais divertido e consequentemente mais desafiantes.

A trilha sonora é algo sensacional em todos os jogos da Ubisfot e dessa vez não foi nada diferente, como se trata de um jogo em mundo aberto com inúmeras possibilidades de coisas para fazer é claro que a trilha seria completa e bem extensa, o que é verdade. No jogo temos as músicas padrão, que tocam durante diálogos, combates ou apenas quando estamos explorando o mapa. Já no outro lado temos a música que toca na rádio dos veículos, que são músicas sobre A Seita (organização criminosa presente no jogo). Onde as músicas são bastante legais e aderem um estilo, mas gospel e country (o que seria a equivalente ao sertanejo aqui no Brasil) . Confira a trilha sonoras logo abaixo:

 

Depois de falar de tudo sobre o jogo entramos na parte mais polemica sobre Far Cry 5, sua história. Que é sem duvida nenhuma a MAIS pesada já apresentada na série de jogos Far Cry. Dessa vez nosso vilão não se encontra em uma ilha paradisíaca distante do resto da humanidade, dessa vez vamos direto para o interior norte americano, na cidade de Hopy Contry em Montana e lutamos contra A Seita, uma organização religiosamente fanática. O jogo começa quando a o Xerife do estado recebe uma ordem para prender o líder da Seita, o tão famoso localmente Jonh Seed, um fanático religioso que se auto intitula “Pai. O grande problema que gerou diversas discussões é que muitos discursos do próprio vilão do jogo ou de algum vilão de determinada religião (que também são seus irmãos) citam vem direto do próprio livro sagrado Cristão, A Bíblia. E isso já foi o bastante para algumas comunidades religiosas ao longo do globo boicotarem o próprio jogo. Mas em minha opinião a história consegue ser sem duvida nenhuma uma das melhores de toda a franquia Far Cry, tendo por sí só um vilão que é muito bom e consegue bater de frente com o próprio Vass (vilão do tão aclamado Far Cry 3). Pelo fato de termos um ótimo vilão e uma história realmente muito boa Far Cry 5 já começa a valer a pena só por esse quesito.

Como já é de costume da Ubisoft Far Cry 5 está totalmente localizado aqui para o Brasil, contado com menus, legendas e dublagem totalmente em português do Brasil. A dublagem é de excelente qualidade e as vozes combinam na grande maioria dos personagens, salvo de alguns casos onde a voz não combina e fica meio estranho.

Confira o trailer do jogo logo abaixo:

 

Para a surpresa dos fãs tivemos um trailer oficial feito em live action com os próprios atores que fizeram a captura de movimento e as vozes no idioma original (inglês). Caso queira assistir ele estará disponível logo abaixo:

 

Far Cry 5 já está disponível para Playstation 4, Xbox One e PC.

O jogo foi testado em um Playstation 4 é concedido gentilmente pela Ubisfof para ser feita a análise.

85% Muito Bom
  • Jogabilidade 70 %
  • Gráficos 85 %
  • História 90 %
  • Trilha Sonora 100 %
  • Enredo 75 %

Compartilhe.

Sobre o Autor

Amante cinematográfico, adorador de música, games e viciado em Star Wars, um amor que nunca será entendido. Em seu tempo livre gosta de comer, ler e ficar procurando um jeito de viajar para uma galáxia muito distante.