Historicamente, a relação entre a Nintendo e a comunidade competitiva de Super Smash Bros. tem sido, na melhor das hipóteses, tênue. A Nintendo não deu tanto apoio ao lado competitivo das coisas quando comparada a outras empresas, apesar de ter um grande cenário competitivo.

Falando com o The Washington Post, o criador da série Masahiro Sakurai abordou essa questão e discutiu por que a Nintendo não se concentrou tanto no lado competitivo do jogo.

De acordo com Sakurai – que tecnicamente não é um funcionário da Nintendo, mas trabalha diretamente com a empresa desde o título original de Kirby no GameBoy – os e-sports não correspondem à visão da empresa para os jogos.

“A filosofia por trás deles (dos jogadores competitivos) não está alinhada com a filosofia da Nintendo já que alguns desses jogadores estão jogando pelo dinheiro do prêmio. Chega a um ponto em que eles estão jogando pelo dinheiro, e eu sinto que esse tipo de direção não coincide com a visão da Nintendo sobre quais jogos deveriam ser. ”

Além disso, Sakurai também afirma que ele não quer que o jogo se torne muito difícil para a maioria dos jogadores, concentrando-se em elementos competitivos. Parte disso envolve acelerar o ritmo do Super Smash Bros. Ultimate, para evitar ter que adicionar mecânicas mais avançadas, como as encontradas em Super Smash Bros. Melee.

“Eu acho que muitos jogadores Melee adoram Melee. Mas, ao mesmo tempo, muitos jogadores, por outro lado, desistiram do Melee porque é muito técnico porque não conseguem acompanhar isso ”, afirma.E eu sei que havia jogadores que faziam tendinite jogar e mexer tanto com o controle… que realmente é difícil para o jogador. E eu sinto que um jogo deveria focar no público alvo. ”

Tudo isto dito, Super Smash Bros. Melee e Super Smash Bros. para o Wii U serão apresentados no torneio principal para o Evo 2018, pelo que a Nintendo não é totalmente contra o competitivo Super Smash Bros., apenas não é um foco principal.

Super Smash Bros. Ultimate vai chegar no Nintendo Switch em 7 de dezembro.

Via SHK