Os e-sports são uma categoria esportiva que vem se moldando durante os últimos paralelamente ao desenvolvimento das tecnologias que estão envolvidas no seu processo. Hoje, em 2018, há jogadores profissionais que ganham prêmios milionários para jogar videogames, por exemplo. O que antes era considerado um passatempo para fazer depois de o trabalho ou da escola e durante os finais de semana se tornou agora uma profissão, e bem remunerada por sinal.

Nos próximos anos, os esportes digitais ou eletrônicos, como os e-sports também podem ser chamados. No Brasil, eles estão ganhando cada vez mais força e se tornando expressivos no mercado internacional, envolvendo os vários pontos desse novo segmento, desde desenvolvedores até jogadores. Hoje, grande parte da população do mundo em torno dos 15 aos 35 anos, adora jogar videogame, como também assistir outras pessoas jogando em eventos, daí o seu sucesso e o seu potencial de expansão ainda maior.

1- Profissionalização de jogadores amadores

Na China, já existe até mesmo uma bolsa de estudo para jogadores de videogames, no qual eles recebem um pagamento mensal para desenvolver suas habilidades nos principais jogos, tal como o League of Legends.

Além disso, dá para aprender outros pontos sobre o universo dos e-sports, como gerenciamento de carreiras e organização de eventos e de competições. Países como Os Estados Unidos e Inglaterra também já estão apresentando cursos técnicos e universitários nessa categoria. No Brasil, há o oGG Training, curso profissionalizante para jovens jogadores de e-Sports

2- Calendário de eventos ainda mais amplo

Hoje já existem vários eventos sobre jogos de videogames, mas isso só tende a se expandir no futuro com um calendário cada vez mais completo e também em diferentes locais.  Grande parte desses eventos são divulgados em todo o mundo.  O SportTV tem uma lista completa com todos os eventos de 2018, tanto no Brasil como em outros países

3- Abertura para um mercado feminino

O mundo dos esportes é bastante masculino, mas há uma grande potencial de mercado entre as mulheres. No Brasil, já temos varias representantes entre elas: Monica “Riyuuka” Arruda, contratada pela Pain Gaming. Mas a cada dia mais dá para encontrar mais mulheres entrando nesse universo e isso só tente se ampliar.

4- Regulamentação e fiscalização

Com o aumento do profissionalismo, a cada dia novas regulamentações e fiscalizações precisam acontecer para garantir o máximo de segurança e de qualidade para todos os profissionais envolvidos nesta indústria. Isso implica, por exemplo, a inclusão do esporte nas Olimpíadas, dando ainda mais base para o seu desenvolvimento e ampliação.

5- Variação e diversificação dos tipos de jogos

Com a expansão da indústria, cada dia mais é preciso ser criativo e inovador para trazer jogos diferenciados e também mais desafiadores, dessa maneira. Muitos desses jogos estão aproveitando os acontecimentos atuais para criarem suas narrativas. Um tipo de jogo bem atual é o de tomada de decisão no qual a história se altera de acordo com as decisões dos jogadores.

Ou seja, este é um segmento que tem muito futuro e está só no começo, vale a pena investir na área se há interesse. Esses são apenas alguns dos pontos importantes, já que há muito mais envolvido. Um dos maiores investidores dos e-sports no Brasil e o ex-jogador de futebol e empresário Ronaldo.

E você? O que acha disso tudo? Comente!

Texto elaborado por Hugo Moura