Darling in the Franxx tem aparecido muito nas mídias sociais desde que lançou, principalmente em função de sua protagonista, a Zero Two. Mesmo que você não tenha assistido o anime ou sequer o conheça, certamente viu alguma imagem dela em algum momento. Talvez logo de cara você já se apaixone, mas mesmo que não seja amor à primeira vista, certamente não irá demorar até você se apaixonar por ela.

Se você começou a assistir e achou sem graça, estranho, chato, cliché, nada especial, etc, não se preocupe, ele começa a ficar muito melhor mais para frente. Mas se até a metade do anime você ainda não estiver gostando, aí é porque realmente não é para você.

Basicamente, a história se passa no que parece ser um futuro pós-apocalíptico da terra, normalmente dentro de “cidades” artificiais, chamadas de “plantações” e ocasionalmente fora delas. Os personagens são meio genéricos inicialmente, mas alguns se destacam ao longo da trama. O propósito deles é pilotar os Franxx, que são mechas desenvolvidos para lutar contra os Klaxosaurs, seus inimigos, que tentam atacar os humanos e suas “plantações”. A relação político-social desses pilotos com seus supervisores e os demais humanos está cercada de mistérios e estranhezas. Entende-se que esses pilotos, chamados de parasitas, têm como objetivo de vida único e exclusivo pilotar os mechas a fim de proteger o que restou da humanidade e nada mais. Conforme a trama avança, as coisas vão se encaixando e fazendo mais sentido, além de ficar cada vez mais interessante.

O anime começa de forma um pouco lenta, confusa e esquisita. Você começa a se perguntar: “seria isso fan service? Há uma explicação viável na trama para essa bizarrice?”. Calma, mais pra frente tudo é explicado. Continua sendo meio bizarro, mas pelo menos tem explicação. Ele parece se tratar de um anime de mecha, e realmente nos primeiros episódios esse aparenta ser o foco. Ao passar dos episódios, percebe-se que não chega a ser tanto um anime de mecha e que apenas fazem parte do enredo, tendo grande importância em momentos-chave. Conforme o anime avança e principalmente mais ao final, há momentos em que você provavelmente irá olhar para a tela e pensar apenas “???”. Não se preocupe, é normal.

 

Há alguns poucos momentos de alívio cômico ou comédia em si. No geral é um anime com um ar mais sério, inclusive em seus traços. Sua composição visual é muito linda em algumas cenas e a trilha sonora é bastante boa. O tema de abertura, “Kiss of Death”, juntamente com a abertura em si, são, em minha humilde opinião, lindíssimos. Agora, se eu tivesse que dizer o que mais me prendeu ao anime e mais me fez gostar dele, sem sombra de dúvida responderia que foi a protagonista, Zero Two. A palavra “darling” já me era bastante familiar, mas após assistir esse anime essa palavra nunca mais terá o mesmo peso ou significado que tinha antes.

O que está esperando para assistir, Darling?

Você pode assistir Darling in The Franxx na Crunchyroll