Depois do grande sucesso que o primeiro Invocação do Mal teve quando foi lançado, a Warner começou a apostar pesado no universo de filmes de terror que criados pelo diretor James Wan. Nesse mês nós temos o lançamento da história que deu origem a um dos personagens mais queridos da franquia, A Freira (ou Valak para os mais íntimos). Confira o que achamos do filme logo abaixo:

A Freira é um filme que leva a formula de terror criada por James Wan, com um desenvolvimento simples de sua história e bem rápido até em alguns momentos. Claro, não dá muito bem para se contar uma história quando um demônio está correndo atrás de você.

Os efeitos especiais são bons na medida do possível. Tanto a ambientação como a maquiagem dos atores. É claro que o filme possuiu CGI, mas são em menor quantidade graças ao orçamento do filme (que não é lá essas coisas). Mas quando temos cenas que abusavam de efeitos computadorizados elas ficam bem tosquinhas e dá para perceber nitidamente várias falhas. A coisa mais legal em minha visão é a ambientação, já que o filme se passa na década de 50 em um convento de freiras que se localiza nas montanhas da Romênia. O clima do filme é bem pesado e tenso, já que se trata de um castelo gigante no meio do nada, e principalmente um filme onde não há energia elétrica, ou seja, potencializando o clima do filme em algo mais aterrorizante.

A trilha sonora assim como todo bom filme de terror é um dos principais elementos, ele que acaba criando a maior parte do clima de suspense/terror. E em A Freira é a mesma coisa, a trilha é aterrorizante. Caso queira, confira a trilha logo abaixo:

Querendo ou não a história em filmes de terror não é o ponto mais forte. E em A Freira é a mesma coisa. O plano de fundo da história é excelente e a história em sua boa parte é boa, mas ela acaba se perdendo diversas vezes ao decorrer do filme e isso não é a única coisa, o roteiro também conta com diversos furos. O filme começa bem, com uma história que gera curiosidade no público e acaba intrigando, mas chegando perto do final senti que os roteiristas quiseram acabar logo com o filme e deram um final bobo e sem um gostinho de quero mais (como tivemos em outros filmes desse mesmo universo). Na minha opinião achei que a personagem Freira (Valak) foi muito mal utilizada no filme e o final que teve não foi tão bom quanto poderia e deveria ter sido.

As atuações todas são medianas, mas uma que se destaca muito é Taissa Farmiga que é a personagem principal na trama juntamente com o Jonas Bloquet e o Demián Bichir.

Confira o trailer do filme logo abaixo:

A Freira chega nos cinemas brasileiros em 6 de setembro de 2018

[Crítica]- A Freira
3.5Bom
História
Trilha sonora
Efeitos especiais
Fotografia
Enredo
Atuação