A temporada de filmes do Oscar começou, e com eles ótimos filmes estão chegando. Um deles é o favorito ao maior prêmio da noite, Green Book, veja o que achamos do filme.

Imagina ser um negro, homossexual e ainda por cima famoso nos Estados Unidos na década de 60. Imaginou? Agora a dificuldade ter que fazer uma turnê de show nos estados mais racistas do país. O resultado é o que o belíssimo filme Green Book nos mostra.

A fotografia do filme é outra coisa que chama muito a atenção, não é nada muito colorido nem muito escuro, mas o diretor soube trabalhar muito bom com o contraste de cores, usando em momentos cores mais alegres juntas com escuras.

A trilha sonora é uma das principais coisas em Green Book, com músicas instrumentais dos anos 60, o filme é basicamente todo rodado com músicas de fundo que criam diversos climas. Confira a trilha sonora completa logo abaixo:

A coisa mais importante em Green Book é com certeza sua história que é o que mais chama atenção e que garantiu vários prêmios ao filme. Green Book é baseado em uma “história de amizade verdadeira” que muitas pessoas podem olhar e duvidar da veracidade. Imagine ser um negro famoso nos Estados Unidos na década de 60, onde a segregação racial está a todo vapor. E então um belo dia você decide fazer uma turnê de 2 meses no Sul do país (zona conhecida por ser extremamente racista), mas precisa de uma motorista que possa te levar em todos seus show e compromissos. Eis que Don Shirley escolhe Tony como seu motorista e segurança, Tony que era altamente racista e preconceituoso com os negros tem que enfrentar esse trabalho para garantir o dinheiro para sua família, e é nessa viagem que os dois deixam de lado suas diferenças e começam a viver uma grande amizade que durou por muito e muitos anos. A história é simplesmente linda, no começo vemos uma clara diferença entre os dois mais ao decorrer do filme vemos que eles vão se tornando mais e mais próximos. O legal de ver é como o Tony se transforma em um cara mais culto, menos mal-educado e muito menos racista ao longo que ele vai convivendo esses dois meses na estrada com o Don. Os diálogos do filme também são um grande ponto forte.

É claro que uma das coisas mais faladas no filme é a atuação da dupla Viggo Mortensen (Tony) e Mahershala Ali (Don Shirley) que surpreende em todos os sentidos, é de bater palma como os dois, principalmente o Mahershala conseguiu entrar e se transformar no personagem. Ambos têm fortes chances para concorrer e ganhar o Oscar.

Confira o trailer legendado logo abaixo:

1962. Tony Lip (Viggo Mortensen), um dos maiores fanfarrões de Nova York, precisa de trabalho após sua discoteca, o Copacabana, fechar as portas. Ele conhece um um pianista e quer que Lip faça uma turnê com ele. Enquanto os dois se chocam no início, um vínculo finalmente cresce à medida que eles viajam.

Green Book: O Guia chega aos cinemas brasileiros em 24 de janeiro de 2018

 

 

[Crítica]- Green Book: O Guia
4.1Muito Bom
Roteiro
Fotografia
Direção
Enredo
Atuação