X-Men não só tem um grande peso nos quadrinhos, mas também é onde tudo começou para a Marvel nos cinemas, com o primeiro filme dos X-Men chegando aos cinemas no ano de 2000 ele marcou uma geração inteira, mas como tudo que é bom tem que chegar ao fim e X-Men tem que dar seu adeus (pelo menos do jeito que ele é hoje em dia). Confira o que achamos de X-Men: Fenix Negra.

Depois do fracasso do ultimo filme dos X-Men, onde trazia o vilão mitológico Apocalipse para as telonas a Fox mudou muita coisa dentro da produção dos filmes de seus heróis, ou era o nós pensávamos. Logo antes de chegar aos cinemas brasileiros em maio de 2016, já tínhamos a nosso dispor o aclamadíssimo Deadpool, sucesso de bilheteria e crítica. No ano seguinte fomos presenteados com o final icônico do Wolverine em Logan. E depois de toda essa caminhada, com ótimos acertos nos filmes e pouquíssimas falhas era de se imaginar que o capitulo que encerraria a jornada dos X-Men no cinema seria icônica, mas não. X-Men: Fenix Negra passa longe de ser um filme icônico ou sequer chega perto de ser um filme bom.

O primeiro problema nesse conjunto da obra que é Fenix Negra é o desenvolvimento que acaba sendo fraco e sem ritmo nenhum, temos um começo agitado mas que aos poucos vai ficando cada vez mais parado, até que no final do filme temos algumas batalhas e pronto, acaba, passamos quase 1:30 só na enrolação, com um filme que pode se tornar chato e sonolento para aqueles que estão só procurando ação dentro do filme.

Os efeitos são bem trabalhados até nada de se impressionar, mas continuam bonitos assim como nos outros filmes da franquia, principalmente quando se trata da aparição da Fenix, que acaba sendo muito bem feito.

A trilha musical é legal, mas nada demais, com musicas já conhecidas pelos fãs da franquia com novas composições para o filme, mas nada icônico ou que impressione.

Talvez o que seja mais problema do longa seja o jeito que é contado a história, veja bem. O universo dos X-Men no cinema passou por maus bocados já, com um reboot fantasiado de “explicação para origem do grupo” que no final virou uma nova franquia mas que não apagou e nem descartou tudo que aconteceu nos primeiros 3 filmes, no começo dos anos 2000. No final toda a linha do tempo dos filmes do X-Men é uma bagunça (inclusive é motivo de memes). E é claro que Fenix Negra não iria ser diferente.

Com um roteiro extremamente fraco e quase sem nenhuma ligação com as aclamadas histórias em quadrinhas o filme se monta de uma maneira peculiar, optando por ao invés de colocar Jean Grey como a vilã do filme, como muitos já imaginavam que seriam, decidiram colocar uma vilã que não tem quase nenhuma motivação para estar lá e sem contar que a aparição dela é sem sentido e quase nula durante todo o filme, aparecendo apenas na metade para o final do filme.

Confira o trailer do filme logo abaixo:

Esta é a história de um dos personagens mais amados dos X-Men, Jean Grey, enquanto ela evolui para a icônica Fênix Negra. Durante uma missão de resgate no espaço com risco de vida, Jean é atingida por uma força cósmica que a transforma em um dos mais poderosos mutantes. Lutando com esse poder cada vez mais instável, e também com seus próprios demônios, Jean fica fora de controle, dividindo a família X-Men e ameaçando destruir a própria estrutura do nosso planeta. “X-Men: Fênix Negra” é o filme mais intenso e emocional da saga. É o culminar de 20 anos de filmes X-Men, onde a família de mutantes que conhecemos e amamos deve enfrentar seu mais devastador inimigo – um dos seus.

 

X-Men: Fenix Negra chega aos cinemas brasileiros em 6 de junho.

Crítica: X-Men: Fenix Negra- Filme falha em dar um bom adeus a franquia
2.9Bom
Roteiro
Trilha Musical
Fotografia
Efeitos Especiais
Votação do leitor 0 Votos