No ano de 2019, na sua já tradicional conferência na E3 a Ubisoft revelou um novo jogo, God&Monsters, com um visual bem parecido com o aclamadíssimo The Legend of Zelda: Breath of the Wild, o que deixou muitos curiosos com o jogo. Uma data foi relevada, 22 de fevereiro de 2020. Depois de uma série de problemas, o jogo foi adiado. E quando deu as caras de novo, estava com outro nome, Immortals Fenyx Rising.

Em um ano que tivemos grandes jogos saindo, incluindo um jogo que para muitos é considerado uma cópia grátis de Breath of The Wild, Genshin Impatc, MMORPG que pode ser tanto jogado no PC quanto nos celulares. Bastou isso para Immortals não ser só comparada com Zelda mas também com Genshin. É óbvio que o jogo bebe das duas fontes, temos diversas mecânicas parecidas e os gráficos são bem similares. Mas como tudo na vida, tudo é diferente, mesmo tendo aspectos extremamente parecidos, Immortals traz uma abordagem no enredo totalmente diferente.

Os gráficos são bem bonitos e colorido. Muito mais atrativo para crianças do que jogos como Watch Dogs e Assassin’s Creed, por exemplo. É obvio que Immortals Fenix Risign é voltado para o publico infanto-juvenil, tanto pela sua linguagem e tema mais “leve” quanto pelos seus gráficos mais cartoonescos. Isso de forma nenhuma é algo ruim, o jogo continua sendo muito bonito, com paisagens e modelagens de personagens e inimigos sendo muito bem feita. É quase imperceptível bug na renderezição ou qualquer outro tipo.

A jogabilidade é bem precisa e simples de aprender, os controles são bem responsíveis e o combate é simples, desafiador e não enjoa. Immortals possuiu em toda sua experiência diversos puzzels, alguns mais simples outros mais complicados, mas nada como Portal 2. Você vai passar 1/3 da sua jogatina quebrando a cabeça nesses desafios, mas todos te recompensarão de alguma forma, seja com moedas dentro do jogo, equipamentos ou armas.

No quesito história, não espera nada demais de Immortals, o jogo possuiu um enredo bem fraco e uma história bem leve, mesmo se tratando da mitologia grega, onde temos histórias de vingança, sexo, morte e tudo de ruim que o mundo tem direito, mas que no final não afeta o clima mais infantil do jogo. Muitas histórias dessas histórias trágicas são contadas por algum dos Deuses durante a nossa jornada, mas são feitas como se fosse uma releitura, tirando a parte pesada da história. No jogo, entramos na pele de uma guerreira chamada Fenxy, o seu sexo e características físicas podem ser decididos por cada jogador, indo de tons de pele diferente até tipos de vozes. Ao decorrer do jogo, vamos percebendo que a história está em segundo plano e está presente apenas para justificar a aventura. O jogo até tenta ser engraçado em vários momentos, mas muito das piadas não consegue surtir o efeito desejado.

No final Immortals Fenyx Rising tem seus pontos positivos sobrepondo os negativos, mas não deixa de ser um jogo que poderia ser muito melhor do que é. Por enquanto, o preço do jogo no Brasil ainda é caro, principalmente nos consoles onde podemos encontrar versões digitais por até 400 reais.

Confira o trailer do jogo abaixo:

Immortals Fenyx Rising já está disponível para Playstation 4 e 5, Xbox One e Series, PC e Google Stadia.

 

 

 

 

 

Nota Final para Immortals Fenyx Rising
3.4Bom
Gráficos
Jogabilidade
Trilha Sonora
Enredo
Votação do leitor 0 Votos