Juntando os canais de entretenimento, notícias e esportes, a produção própria de filmes, séries, games e as plataformas digitais, a WarnerMedia é uma empresa gigante por si só. Em seu próprio site, a empresa se denomina como um portfólio de conteúdos que acredita no talento de seus parceiros para criação de conteúdos que causem um impacto cultural. Não é preciso dizer que foi realmente impactante quando, em 17 de maio, a corporação de telecomunicações AT&T confirmou um acordo para a compra da WarnerMedia pela Discovery. 

A negociação prevê o desmembramento da Warner para a recombinação da empresa com a Discovery Inc. em uma nova gigante do entretenimento midiático. Pelo assustador preço de 43 bilhões de dólares (cerca de 228 bilhões de reais na cotação atual), nasce um dos maiores estúdios de Hollywood que planeja competir com outros gigantes do mercado, como Netflix, Disney e Amazon.

Com a fusão, a nova empresa teria o capital para investir cerca de 20 bilhões de dólares na produção de conteúdo. Para se ter uma noção, a Netflix investe 17 bilhões por ano, e a Disney, 15 bilhões. Em números, se torna claro o quão grande a nova marca promete se tornar. 

O CEO da Discovery Inc., David Zaslav, deverá ser o chefe executivo encarregado da WarnerDiscovery (nome não oficial, porém o mais cotado para denominar a nova empresa de acordo com um insider da CNBC), e seu quadro de executivos contará com treze profissionais inicialmente nomeados pela própria AT&T, e mais seis vindos da Discovery, incluindo Zaslav. 

O acordo inclui a adição de canais como CNN, Cartoon Network, CW e TNT ao catálogo da Discovery Networks, além do serviço de streaming HBO Max, dando início a um novo serviço por assinatura que promete ser maior e mais completo do que seus concorrentes.

“É muito animador combinar marcas tão históricas, jornalismo de nível mundial e franquias icônicas sob o mesmo teto e desbloquear tantos valores e oportunidades” comentou David Zaslav. 

WarnerMedia e Discovery

Na imagem é possível ver quais partes da WarnerMedia serão transferidas. Imagem: Reprodução/CNBC

A Discovery também leva consigo na compra parte da WarnerBros. Games, que será repartida. Não se sabe quais estúdios integrarão a nova companhia e quais ficarão com a AT&T, mas uma preocupação dos fãs é que a Discovery não possua estúdios ou experiência para produção de jogos eletrônicos. Haviam rumores ao redor do acordo de que a AT&T planejava vender a divisão de jogos da Warner, e outras empresas apareceram interessadas, como por exemplo a Microsoft. A companhia desistiu da venda, mas o futuro da WarnerBros. Games permanece incerto.

Dentre os estúdios de videogames pertencentes ao Grupo Warner estão a Rocksteady (Batman: Arkham), Netherrealm (Mortal Kombat) e a TT Games (franquia de games LEGO). Segundos relatos, os projetos que já estão em produção, como Gotham Knights e o jogo do Esquadrão Suicida não terão a produção afetada pela compra.  

Um acordo entre a AT&T e a Warner vem sendo cogitado desde 2016, quando a empresa de telecomunicações ofereceu 100 bilhões pela empresa (na época chamada TimeWarner), e, por ser um acordo tão extenso (e caro), anos se passaram para que a compra fosse sequer considerada pelo governo dos Estados Unidos.