Jogos stealth

Stealth: 3 jogos para conhecer o gênero

Jogar não é um hobby muito fácil de se aprender, ainda mais quando alguns dos melhores jogos de um gênero requerem o conhecimento extensivo de estilos de jogo e mecânicas específicas e difíceis de aperfeiçoar. É por este motivo que eu resolvi criar uma série de artigos recomendando jogos bons tanto para começar a explorar um gênero específico quanto aqueles que precisam de uma especialidade e familiaridade maior com ele.

E hoje, para começar, veremos jogos focados em stealth (furtividade). Esse tipo de jogo é infame por ser um pouco mais difícil que o comum na sua adaptação às mecânicas, geralmente exigindo mais paciência e extenso planejamento do jogador.

Mas não se preocupe! Existem muitos jogos de stealth que são perfeitamente acessíveis para te ensinar a lidar com as peculiaridades do gênero, e até permitem que você desvie um pouco do estilo de jogo ao ser mais agressivo, se achar necessário.

Então, vamos dar uma olhada em algumas das melhores experiências do gênero, tanto para os mais novatos quanto aos veteranos. Confira abaixo!

Jogos de stealth bons para iniciantes (e veteranos também!)

Dishonored

Dishonored é não só uma das melhores experiências do gênero mas também um ponto de entrada acessível e variado para quem não é familiar com jogos do tipo. Ele possui um estilo de gameplay muito similar ao de outros AAA atuais e sempre deixa claro onde você deve ir.

Além disso, Dishonored também é fácil (um pouco demais). Mesmo nas suas dificuldades mais avançadas, ele ainda esbanja guardas com visão vertical limitada e habilidades de combate muito inferiores aos do protagonista, então recomendo você experimentar uma um pouco mais alta se sentir a vontade de se desafiar.

Jogos stealth iniciante

Em Dishonored você joga com Corvo, o protetor real que busca reestabelecer o governo da família real após um golpe de estado e o assassinato da imperatriz, do qual ele foi falsamente acusado de cometer. Daí o nome do jogo. Corvo então sai em busca de informações e membros importantes do novo governo, dos quais ele pode escolher o destino.

Essa história é mesclada muito bem com elementos sobrenaturais e um universo único, com ruas vitorianas sendo destruídas pela praga inspirada pela peste negra e a presença do deus Outsider, que presenteia Corvo com poderes mágicos para ajudá-lo em sua jornada.

Outsider não é exatamente uma figura benéfica, mas sim uma completamente neutra, que te julga no decorrer da campanha baseado em suas ações como jogador. Quanto mais pessoas você mata e menos furtivamente você joga, mais caótico fica o mundo à sua volta. Mais guardas aparecem pela cidade, como mandato da nobreza resultante do medo causado por suas ações, algo que por consequência diminui o número de cidadãos comuns presentes na cidade.

Os guardas se tornam mais agressivos com todos ao seu redor e a população é dominada pela praga por causa da falta de auxílio do governo, que passa a investir apenas na infraestrutura da proteção da nobreza.

Jogos Stealth iniciante
As cenas que você vê em Dunwall podem ser lindas, mas são um contrastade com a miséria da população geral.

Sim, isso tudo é definido pelas ações do jogador. É o jeito de Dishonored te incentivar a jogar da maneira não-letal e por conseguinte te estimular a jogar com uma abordagem stealth. Dê uma chance à Dishonored!

Se você gostar do jogo e quiser mais, pode jogar as duas DLCs de história dele, Dishonored 2 e Dishonored Death of the Outsider, todos de qualidade igual ou maior que o primeiro jogo.

HITMAN (2016)

Olha que coincidência, outro jogo que também concede total liberdade de escolha ao jogador! O soft reboot de Hitman serve como um novo início para a clássica franquia do Mundo de Assassinatos, oferecendo mecânicas mais ricas em profundidade que seus antecessores.

A história de HITMAN é simples, mas engajante. Não acontecem muitas coisas nela, já que ela é só o início dessa trilogia. Mesmo assim, os mistérios levantados pelas dramáticas sequências em belas CGs conectam as missões do jogo entre si e trazem uma perspectiva holística aos assassinatos cometidos pelo Agente 47, nosso protagonista.

Mecanicamente, HITMAN também é jogado de maneira similar a outros jogos de alto orçamento modernos em terceira pessoa, mas apenas na sua superfície. Você pode interagir com seu ambiente de incontáveis maneiras, podendo até se disfarçar com roupas de outras pessoas do local onde você está.

Jogos Stealth HITMAN 2016
A mimir

+LEIA MAIS: COPPER ODYSSEY É UM RPG EXCÊNTRICO QUE MERECE SEU TEMPO

Além de te mostrar a posição de seus alvos à todo momento, pelo uso da mecânica de Instinto), você também consegue achar as Oportunidades que criam rotas alternativas e criativas de eliminar seu alvo, mostrando-as passo a passo.

Por mais que as Oportunidades possam ser divertidas de serem executadas, eu recomendo você desativar elas (há uma infinidade de opções customizáveis, todas afetando a sua imersão), já que elas tiram de você completamente o desafio da exploração que o jogo oferece.

Agora, o Instinto é uma história diferente. Ele pode parecer forte demais de início, mas com o tempo fica fácil perceber o quão necessária é a sua inclusão. Ele representa os sentidos aguçados que 47 desenvolveu durante seus anos na profissão, junto do planejamento que fez para saber as posições de seus alvos antes de ir para a missão, não quebrando tanto a imersão.

Pitbull Agent 47
Pitbull

Se você quiser uma porta de entrada simples de entender, mas que ao mesmo tempo oferece uma quantidade incomensurável de liberdade e criatividade, HITMAN é a escolha certa.

Se você gostar do jogo e quiser mais, pode jogar os outros dois da trilogia nova e até os mais antigos como Hitman: Codename 47 e Hitman: Blood Money.

Um jogo de stealth bom para os veteranos e corajosos

Thief Gold

Thief: The Dark Project é o melhor jogo de stealth já feito.

Isso é uma opinião, claro, mas é uma muito fácil de entender para quem já jogou Thief. O primeiro jogo da clássica trilogia que basicamente criou todas as mecânicas de stealth do gênero e que é facilmente encontrado como Thief Gold com (maravilhosas) missões extras é um prato cheio de narrativa e incríveis decisões de design.

No universo de fantasia sombria de Thief, você controla Garrett, um cidadão simples que apenas busca pagar seu aluguel mensal ao roubar da nobreza d’A Cidade, costume que desenvolveu ao ser criado pelos Keepers, uma organização misteriosa que protege a região. Mesmo com seus conhecimentos e aprendizados, Garrett resolve sair da organização ao se tornar adulto para virar um ladrão.

Thief em toda sua beleza old school

Você então acompanha os roubos de Garrett, que vai se envolvendo em situações muito além de seu controle conforme a história avança. A narrativa de Thief recebe um grande foco por parte dos desenvolvedores e é um de seus pontos altos, especialmente dentre os jogos da época. O mundo apresentado pelo jogo é lotado de detalhes, e eu diria que a maior parte da história é contada por meio da interação do jogador com ele.

Quanto mais nobres os alvos, mais perigosa é a missão de roubá-los. O uso de sons como mecânica é algo único de Thief, e é usado tanto como algo para te dar vantagem como algo para te limitar. Todo mundo faz sons com barulhos distintos ao caminharem por tipos de piso diferentes, e o barulho que você faz também varia dependendo da velocidade pela qual você está caminhando ou se esgueirando.

Então os alvos mais ricos que possuem pisos de mármore constituem um perigo muito maior de ser descoberto ao fazer barulho, mas você também pode usar isso à seu favor para identificar a posição dos guardas, ou encher o chão com flechas de musgo, e por aí vai.

Já que Thief tem perspectiva em primeira pessoa, é perigoso sair andando por aí e sem querer esbarrar de cara com um guarda. Por isso, ouvi-los com o sistema de áudio 3D extremamente avançado do jogo é crucial para o sucesso, algo que ainda impressiona quando comparado a jogos atuais.

Jogos Stealth Thief
Thief ainda consegue passar um ar misterioso com sua direção de arte

Isso também se estende para a parte de iluminação, que funciona como qualquer jogo atual, mas com mais nuances. Você pode lidar com tochas ao apagá-las com flechas imbuídas em água, por exemplo.

Mas não se deixe enganar, pois Thief requer muita, mas muita paciência. Cada uma das 17 missões incluídas na edição Gold são enormes tanto em escala quanto em duração. Algumas das mais complexas podem te fazer levar mais de três horas para completar.

Eu recomendo que você jogue ele no Expert ainda, que é a maior dificuldade disponível. Nela, você não pode matar ninguém e deve roubar uma grande parte dos espólios disponíveis da missão (com um valor mínimo predeterminado), além de outros objetivos extras. Em minha opinião, este é o modo que traz a melhor e mais autêntica experiência que os desenvolvedores quiseram passar.

Ou seja, Thief não serve como o melhor ponto de entrada para alguém novo ao gênero de stealth. Mas tudo bem, pois só pela existência dele já vale a pena se familiarizar com outros títulos para poder aproveitar Thief pelo que ele é.

Thief Cragsleft

Para jogar Thief Gold em um sistema moderno, eu recomendo que você baixe o mod TFix, que arruma problemas de compatibilidade com sistemas modernos e alguns bugs antigos. Ainda assim, talvez seja melhor usar as configurações básicas do instalador, já que algumas das mudanças opcionais que o mod oferece (como mecânicas do Thief 2 e texturas em HD) acabam alterando a estética original e autêntica desse clássico.