Alisa

Entrevistamos: Indie “Alisa” resgata a “Era de Ouro” do horror no PS1

Alisa é o novíssimo título independente de survival horror do desenvolvedor belga Casper Croes, datado para sair ainda em outubro e que promete resgatar o feel de jogos de survival horror da era do PlayStation 1, como Resident Evil, contanto com bastante foco em exploração, puzzles e mapas enormes e atolados de segredos.

Alisa
Alisa: Demo gratuita já está disponível na Steam. Foto: Divulgação / Casper Croes

Para comemorar a aproximação do lançamento do jogo, nós do Recanto do Dragão decidimos entrevistar o desenvolvedor Casper Croes para contar um pouco mais sobre o que está por vir. Confira!

Parte 1: Sobre o desenvolvedor, Casper Croes

RDD: Você sempre foi fã de jogos de terror? Quando sua paixão começou?

CC: Sempre fui fã de jogos de bons jogos de terror, mas não sou grande fã de gore e sangue; por isso, adoro jogos de terror antigos que eram menos sobre os gráficos sanguinolentos e mais sobre a atmosfera sombria no geral.

RDD: Quando você aprendeu a desenvolver jogos?

[Tive vontade de aprender] na primeira vez que vi um jogo quando criança: eu pensei “vou inventar meu próprio jogo!”, e daí fui comprar meu primeiro PC usado, um Macintosh SE, em uma venda de garagem por 3 dólares! xD

Comecei a usar uns aplicativos “obscuros” para criar joguinhos de point-and-click; depois de um tempo, encontrei um novo PC, também em uma venda de garagem, um IBM ThinkPad parcialmente quebrado com Windows 3.1 nele.

A partir daí, comecei a fazer mods em jogos baseados na Build Engine [popularmente conhecido por Duke Nukem, da 3D Realms]; naquela época, eu ainda tinha uns 8 ou 9 anos.

Fiz essas coisas até os 20 anos de idade, quando fui apresentado ao Unity 3. Esse foi o momento em que quis me tornar “profissional” na área.

RDD: Considerando o sucesso da campanha de Alisa no Kickstarter, que arrecadou mais de 28 mil euros, essa é sua primeira desenvolvendo um projeto tão grande assim?

Alisa é o meu primeiro jogo de verdade. Depois de muitos projetos que nunca saíram do papel, eu me sentia puramente um artista gráfico que não tinha ideia de como programar, até que me forcei para aprender durante o desenvolvimento de Alisa.

Eu estava ficando exausto com todos os terríveis trabalhos que tinha que fazer para viver, então foquei 100% da minha energia para transformar Alisa no caminho para o emprego dos meus sonhos como desenvolvedor de jogos.

Foi um longo caminho de 2017 (apenas como um conceito e alguns modelos 3D) até 2021, lançando agora com um número de seguidores enorme que nunca teria imaginado.

RDD: É meio cedo para perguntar, mas você planeja trabalhar com mais jogos como um estúdio indie? Talvez lançar novos projetos no Kickstarter ou na Steam?

Sim! Tenho um monte de ideias de projetos no meu backlog de jogos que quero criar. Nem tudo é terror, eu também adoro ficção científica! E, acima de tudo, adoro um pouco de humor também.

Parte 2: Sobre o jogo, Alisa

RDD: Qual parte do desenvolvimento foi a mais desafiadora? Você comentou sobre experimentação com os cenários pré-renderizados e os visuais 3D para tentar “emular ao máximo a sensação de anos 90 possível”.

Acho que a parte mais desafiadora foi, como eu comentei, de aprender programação. Os gráficos nunca foram um problema para mim. Ah, e eu odeio fazer os efeitos sonoros…

RDD: Qual foi seu foco principal ao elaborar o design do jogo: gerenciamento de recursos, quebra-cabeças, combate..?

Acho que a parte mais importante para mim foi a história e a atmosfera, mas ainda mantendo tudo divertido e dando a sensação de recompensa conforme seu progresso.

RDD: Você pode nos contar mais sobre o sistema de upgrade com o Pol e as “rodas dentadas”? (Os itens são todos relacionados ao tema de bonecos e fantoches, o que é incrível!)

Tive essa ideia jogando muitos jogos da série Souls, onde você pode “construir seu personagem” e tudo mais. Isso me levou ao sistema de modificação de armaduras e vestidos da Alisa.

O sistema de mods da personagem infelizmente não estará disponível no lançamento, o que parte meu coração, mas irei adicioná-lo ao jogo assim que possível.

RDD: Você escreveu no Kickstarter sobre conteúdo exclusivo para New Game +. Jogos antigos como Resident Evil e Silent Hill trabalhavam bastante com rejogabilidade; podemos esperar isso em Alisa?

NG+ no Alisa provavelmente vai um pouco mais longe, trazendo recursos exclusivos bloqueados por trás de novos saves. Estou falando de outra loja de fantoches que vendem coisas incríveis!

RDD: Quantas pessoas trabalharam no projeto? Sabemos que você se juntou à sua namorada para produzir a trilha sonora (adorei o estilo Resident Evil misturado com música clássica), e que um dos chefões foi dublado pela Youtuber de terror Suzi Hunter, também!

A equipe é basicamente eu cuidando dos gráficos e da programação, e até mesmo de algumas dublagens (como o Pol), enquanto minha namorada Arisa faz a música e dá voz à Alisa em si.

Além disso, tem meu irmão, Siegfried Croes, que me ajudou com alguns códigos mais complexos; basicamente todo o resto são dubladores, grandes ou pequenos, mas todos igualmente talentosos!

RDD: Quais jogos ou filmes serviram de inspirações para você? Além de Resident Evil, talvez a estética de Rule of Rose e Clock Tower?

Principalmente o Resident Evil (1996) e Alice (1988), de Jan Švankmajer. Infelizmente nunca joguei Clock Tower ou Rule of Rose, mas entendo a associação das pessoas com jogos assim também.

Outra grande inspiração foi Bloodborne, sem contar no trabalho do meu escritor de terror favorito, H.P. Lovecraft. Quando eu era criança, joguei Alone in the Dark no meu IBM também, acho que contaria como influência indireta.

RDD: Você pode falar um pouco mais sobre os trajes de DLC para a Alisa?

Planejei lançar gratuitamente alguns trajes temáticos de férias ao longo do ano. Eles funcionarão como reskins, então não há outros benefícios além do estilo, são puramente cosméticos para diversão. 🙂

RDD: Você pretende lançar Alisa em plataformas diferentes, como consoles ou mobiles, no futuro?

Switch, Xbox e Playstation são as únicas plataformas que vou tentar. Não sou grande fã de dispositivos móveis. (Na verdade, seria legal lançar no 3DS.)

RDD: Por último, mas não menos importante, como você está se sentindo em relação ao projeto, agora que está finalmente sendo lançado?

Não estou 100% satisfeito em lançar o jogo 90% concluído, mas o orçamento começou a ficar apertado e tenho que soltar o jogo agora para continuar adicionando novos recursos em atualizações futuras.

Sobre o projeto

Você pode acompanhar mais notícias de Alisa nas páginas do Kickstarter, no site de Casper Croes e no seu Twitter; o jogo está previsto para ser lançado na plataforma da Valve ainda neste mês!

Um clássico jogo de ação e aventura de terror no estilo dos anos 90, ambientado em um universo de fantasia gótica e vitoriana inspirado na década de 1920.

Você joga como uma Agente da Elite Real chamada Alisa que, enquanto perseguia um criminoso procurado, acabou em uma velha mansão.

Você terá que encontrar uma saída enquanto é assombrado por criaturas mecanizadas. Será que consegue sobreviver à Casa de Bonecas?

+Leia Também: RESIDENT EVIL: A MANSÃO SPENCER É UM CENÁRIO GÓTICO PERFEITO