A pandemia do novo Coronavírus tem mudado a rotina de muitas pessoas. E com mudanças, são desenvolvidos novos hábitos e dificuldades a serem enfrentadas por todos nós. Ficando em casa por mais tempo a grande maioria das pessoas tem dedicado seus minutos da quarentena à plataformas de streaming, como Netflix, Prime Video, Telecine entre outras.

Pensando neste aumento fomos atrás da Twitch, um dos mais famosos serviços de streaming de jogos do mundo, para saber as consequências do isolamento social no comportamento dos usuários e o que houve de mudança por dentro dos servidores da plataforma.

O que estamos enfrentando agora no mundo é sem precedentes. Com todo mundo ficando dentro de suas casas, as pessoas anseiam não apenas por entretenimento, mas também por conexão e comunidade. A Twitch sempre tentou estabelecer conexões e criar comunidades em torno de interesses compartilhados e essa missão nunca foi tão crítica ou aparente.”

A Twitch percebeu um aumento no uso do serviço de streaming nas últimas semanas. Segundo os dados enviados para nós.

Foram registrados recordes em horas assistidas, aumento no número de criadores e espectadores ativos diariamente, e o mais interessante é a distribuição entre criadores e públicos-alvo.

Houve um aumento significativo no número de novos criadores que transmitem na Twitch.

O número de audiência geral teve um aumento em uma ampla variedade de categorias.

Observamos um crescimento de mais de 50% nas quatro semanas desde o início do distanciamento social se comparadas às quatro semanas anteriores.

Em média, há 1,5 milhão de pessoas assistindo a conteúdos na Twitch a qualquer momento. E durante esse período, observamos que as horas assistidas aumentaram 57% mês a mês.

Esportes e jogos casuais, em particular, tiveram crescimento de novos usuários.

Jogos considerados hardcore também continuam a ter uma audiência extremamente alta, pontuada por lançamentos de títulos bastante aguardados (Valorant, Resident Evil 3 etc.).

Música é uma área em que observamos o crescimento mais significativo, tanto em horas de stream quanto em horas assistidas. Isso indica que a música como uma categoria de conteúdo tem muito potencial para sucesso na Twitch – e estamos vendo um grande interesse de músicos e de nossa comunidade que podem se conectar ao vivo de uma maneira que só é possível na Twitch

 

Plataformas como a Twitch ajudam diversas pessoas a enfrentar esta situação de isolamento social. Para que possamos ficar em casa e cuidar uns dos outros, serviços como este são de necessidade ímpar para o entretenimento caseiro e por consequência a manutenção da saúde de todos enquanto atravessamos esta pandemia.

 

Para entender a visão do público, conversamos com o jornalista Arthur Beltrame, de 24 anos.

 

– Como a pandemia do novo Coronavírus interferiu na sua rotina?

A pandemia afetou não só a minha rotina, mas de todo o mundo. Então o planeta precisou se reinventar. Eu que, particularmente, não passava muito tempo em casa, acabei encontrando aqui o único lugar seguro e saudável. Em respeito aos meus avós, meus pais e a toda a sociedade, tomei a consciência que nessa época é melhor se resguardar e só sair em casos específicos e, mesmo assim, com ressalvas. Por exemplo, eu vejo a melhor hora pra ir ao mercado. Ontem mesmo fui depois das 22h, porque estaria mais vazio e, assim, eu teria contato com menos pessoas. Toda a rotina foi mudada. Trabalho, treino e me entretenho tudo no mesmo lugar, o meu endereço.

 

– O que você tem feito para distrair a sua mente e se entreter?

 

Eu passei a ler mais, ver uns filmes clássicos que nunca tinha visto, fiz um curso profissionalizante, tenho cozinhado e feito uns treinos adaptados. Tudo pra passar o tempo e fortificar a cabeça também, isso é o mais importante.

 

– Você já era assinante de algum serviço de streaming antes da pandemia? Qual?

 

Sim. Netflix e Spotify.

 

– Como a pandemia alterou a sua relação e o seu tempo com os streamings?

 

Diariamente eu uso a Netflix. Isso já ocorria antes do isolamento social. Mas, agora, uso por mais tempo, principalmente de final de semana, quando não trabalho.

 

– Você assinou algum novo canal de streaming durante a pandemia?

 

Sim. Como essa tem sido uma das minhas principais formas de entretenimento nessa pandemia, eu assinei o Amazon Prime Video, em busca de novos títulos.

 

– Para você, qual é a importância dos canais de streaming nesse momento de isolamento social?

 

Esses serviços têm um cardápio muito bom. Além de entretenimento, são fontes de conhecimento também. Seja em filmes, músicas, documentários ou podcasts, se você quiser, consegue se entreter e aprimorar seu repertório simultaneamente. Na netflix eu consigo ver um show de standup ou um documentário sobre história, por exemplo. Essa diversidade é muito importante no momento atual.

 

– O que você acha dos canais de streaming que deixaram um período de assinatura grátis durante a pandemia? Você enxerga como vontade de ajudar de alguma maneira ou como estratégia?

 

Eu vejo como uma estratégia que ajuda. É óbvio que o fim é gerar assinaturas do serviço. Porém, o meio, o serviço, colabora para a população. Então acaba se tornando uma boa oportunidade para ambos os lados. O cliente aproveita da plataforma e vê o quão bom é o serviço, enquanto os streamings fazem esse teste drive com a população.

 

– Aproveitando o assunto, você teria indicação de algum conteúdo (filme, seriado, games…) para nos dar?

 

Tenho sim. Chama-se “Tudo o que aprendemos juntos”, um filme brasileiro estrelado por Lázaro Ramos.