Em entrevista à GQ Magazine e à FamitsuJim Ryan, atual CEO da Sony Interactive Entertainment (SIE), confirmou que o exclusivo Days Gone chegará aos PCs na Primavera (1º de março a 31 de maio), além de “um bocado de outros jogos”.

Nas entrevistas, Ryan também comentou sobre diversos outros assuntos, como problemas de logística no lançamento do PlayStation 5, o novo “PlayStation VR 2” (sem nome oficial) e o lançamento de novos exclusivos nesse início de geração.

Ademais, foram dadas possíveis datas dos novos jogos que estão por vir ao console, incluindo Horizon: Forbidden West, programado para lançar na segunda metade de 2021.

+Leia Também: INICIATIVA PLAY AT HOME DA PLAYSTATION RETORNARÁ COM RATCHET & CLANK GRATUITAMENTE

Mais jogos PlayStation virão aos PCs, além de Days Gone

Em entrevista à GQ Magazine, Jim Ryan foi perguntado sobre o posicionamento da SIE quanto aos relançamentos de exclusivos como Horizon Zero Dawn, Death Stranding (e agora, Days Gone) para os PCs. Em resposta, ele afirmou:

“[…] Na última metade do ciclo do PS4, nossos estúdios fizeram alguns jogos maravilhosos. Existe uma oportunidade de expor esses grandes jogos a um público mais amplo e reconhecer a economia do desenvolvimento de jogos, que nem sempre é simples.

O custo de fazer jogos aumenta a cada geração, conforme o calibre das franquias melhora. Além disso, nossa facilidade de disponibilizá-lo para não-proprietários de consoles aumentou. Portanto, é uma decisão bastante simples de tomar.”

Ainda comentando sobre Horizon Zero Dawn, que está disponível na Steam e Epic Games Store atualmente, o presidente disse que “muitos gostaram e compraram o jogo”, sendo considerado um porte bem-sucedido.

Além disso, também constatou que “não perceberam uma reação adversa forte da comunidade PlayStation”, o que deixa claro que a empresa deveria seguir esse caminho nos próximos anos.

Sobre o lançamento do PlayStation 5

Já é de conhecimento público que o lançamento do PlayStation 5 pode ser considerado um sucesso: no final de dezembro, cerca de 4.5 milhões de consoles foram vendidos; isso é pouco mais que a venda de PS4s em 2013 e só foi o estopim da nova geração.

No início da nova geração da Sony, haverão lançamentos como o MLB The Show 21 (20 de abril), o TPS Returnal (30 de abril) e o mais novo Ratchet & Clank: Rift Apart (11 de junho); além disso, também teremos Horizon: Forbidden West na segunda metade de 2021.

Com isso, Jim Ryan tentou explicar sobre a situação da baixa oferta de consoles, em contraposição à enorme demanda do mercado.

Dentre os maiores problemas, estariam a falta de semicondutores no mercado (algo já vastamente documentado em inúmeras indústrias) e o modelo de distribuição ser praticamente inteiramente movido às plataformas online.

Isso gerou problemas como os “scalpers“, uma prática onde grupos de pessoas compram incontáveis consoles (por uma ou várias contas falsas) logo quando lojas são reestocadas, na tentativa de revendê-los por até o triplo de seu preço original. Supostamente, cerca de 10% dos consoles PS5 vendidos nessa época vieram desses grupos.

“Estamos trabalhando como sempre, mas com vigor e energia renovados após o Natal para aumentar o estoque, ele deve voltar a aumentar a cada mês.

A situação vai começar a melhorar, espero que muito em breve. Temos sido implacáveis em termos de tentativa de aumentar a produção e realmente não posso dizer mais do que isso.”

Por fim, conversando sobre a situação da Sony com jogos de estúdios japoneses, o CEO comentou:

“A SIE tem laços profundos com titulares de licenças japonesas, então gostaríamos de continuar a fortalecer nossa cooperação e desenvolver títulos feitos no Japão para fãs de PlayStation em todo o mundo.”

%d blogueiros gostam disto: