Cujo é um dos livros mais tensos presentes dentro do gênero de terror. Escrito por Stephen King, a história apresenta uma mãe e um filho que acabam presos dentro de um carro com um cachorro com raiva do lado de fora. O livro é muito bem detalhado por King, e a cada página que você avança, mais tensão é gerada.

O livro também foi adaptado para as telas de cinema no ano de 1983. O filme fez bastante sucesso na época, alcançando uma bilheteria de mais de 20 milhões de dólares.

Nesta matéria o foco não será o filme, porém vale a indicação por se tratar de outra relíquia do terror. Para quem quiser assistir, ele está disponível no catálogo da Amazon Prime Video.

+LEIA TAMBÉM: INDICAÇÃO DE FILME: A ENTIDADE – SEXTA-FEIRA DO TERROR

A narrativa e os personagens

Para quem nunca leu um livro escrito por Stephen King, tenha em mente uma coisa: você vai se apegar muito aos personagens. Em todos seus livros, as descrições de cada personagem são minuciosas. Cada detalhe da vida da pessoa é contado de forma que você sinta empatia por ela, torcendo ainda mais para que consiga se livrar do pesadelo que está passando.

E isso não é diferente em Cujo: ao todo, o livro contém três protagonistas e muitos personagens secundários, com características próprias, que deixam tudo mais imersivo. A mãe, o pai e o filho vão te acompanhar durante as quase 300 páginas, mas o foco será na mãe e na criança que acabam presos dentro do carro.

Cujo livro

Até que o Cujo era bonitinho no começo do filme/livro

Além dessa incrível descrição de personagens, a história te prende muito. Cujo não é o tipo de livro que logo de cara já vai te apresentar o problema, sendo que o real ápice da história acontece quase no final do livro. Porém, não considere isso um ponto negativo, pois a construção do cachorro assassino é feita com maestria, te levando até a sentir certo afeto pelo monstro que o São-Bernardo Cujo se transformou depois de contrair raiva.

Detalhes violentos e bem pesados

Em Cujo, King trabalha muito bem no quesito dos detalhes. Há diversas páginas inteiramente destinadas a descrever cenas de órgãos voando, de cadáveres putrefando e até mesmo uma sequência de 7 páginas descrevendo uma cena de estupro.

Cujo livro

Ao decorrer da história, Cujo acaba parecendo um verdadeiro cachorro zumbi que saiu do mundo de Resident Evil.

Em certos momentos isso chega até a dar um sentimento de repulsa, principalmente quando se trata das descrições do cachorro, relatando todo o processo da raiva contaminando Cujo de dentro pra fora.

O nosso fofo antagonista começa com as memórias afetivas do cachorro que vão esvaindo com a doença, terminando em um ser quase morto-vivo com carne exposta e muita sede de sangue.